Valença, 11 de janeiro de 2023

ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

  • A água de enchentes ou esgotos pode transmitir doenças;
  • Sempre filtre e ferva (por 5 minutos) a água antes de beber, isso elimina vírus, bactérias ou parasitas que podem causar doenças.

ATENÇÃO AOS ALIMENTOS

  • Os alimentos devem ser bem cozidos;
  • Alimentos industrializados podem ser aproveitados, mas com atenção ao prazo de validade;
  • Lavar frutas e verduras com água tratada com hipoclorito de sódio e deixar de molho por 30 minutos antes de consumir;
  • Preparar somente a quantidade de comida necessária para consumo imediato.

NUNCA COMA

  • Alimentos úmidos, mofados ou murchos (com cheiro, cor ou aspecto fora do normal);
  • Carne, peixe, frango, ovos, leite crus ou mal cozidos, vegetais folhosos que entraram em contato com a água de enchente;
  • Alimentos com embalagem ou tampas estufadas e que estejam abertos/danificados.

QUANDO A ÁGUA COMEÇAR A BAIXAR

É hora de limpar tudo e ver o que dá para aproveitar

 Antes de começar a limpeza, coloque calça comprida, botas e luvas (se não tiver botas ou luvas, coloque em cada mão e em cada pé dois sacos plásticos amarrados para tentar evitar o contato da pele com a água contaminada);

  • Será necessário retirar a lama e desinfetar o local: lave o chão, paredes e objetos com uma solução misturando 2 xícaras (400ml) de água sanitária (2,0 a 2,5%) em 20 litros de água.

COMO EVITAR A PRESENÇA DE RATOS

  • Mantenha os alimentos guardados em recipientes bem fechados, resistentes e em locais altos, fora do alcance dos ratos;
  • Mantenha a cozinha limpa e sem restos de alimentos;
  • Retire as sobras de alimento ou ração dos animais domésticos antes de anoitecer;
  • Evite o acúmulo de entulhos e objetos sem uso no quintal;
  • Mantenha os terrenos baldios e margens dos rios limpos e capinados;
  • Guardar o lixo em sacos plásticos bem fechados e em locais altos até a coleta ocorrer;
  • A urina de rato pode transmitir doenças, como a leptospirose.

CUIDADO COM SERPENTES, ARANHAS OU ESCORPIÕES

  • Entre em casa com cuidado, pois animais peçonhentos como serpentes, aranhas ou escorpiões podem estar escondidos;
  • Nunca pegue em animais, mesmo que pareçam estar mortos;
  • Nunca enfie a mão em buracos ou frestas, use um cabo de vassoura ou de enxada;
  • Se encontrar algum destes animais, afaste-se lentamente (sem assustá-los) e chame o controle de zoonoses ou Corpo de Bombeiros de sua cidade;
  • Bata os colchões e sacuda lençóis, roupas e toalhas (com cuidado), antes de usar.

EM CASO DE PICADA

  • Solicite atendimento médico o mais rápido possível;
  • Espere o atendimento em repouso;
  • Procure ficar calmo, deitado e com o membro picado mais alto que o resto do corpo;
  • NUNCA faça torniquete ou garrote no local.

LIMPEZA DA CAIXA D’ÁGUA PASSO-A-PASSO

  • Feche o registro da água e esvazie a caixa d’água, abrindo as torneiras e dando descargas;
  • Quando a caixa estiver quase vazia, feche a saída e utilize a água que restou para a limpeza da caixa e para que a sujeira não desça pelo cano;
  • Esfregue as paredes e o fundo da caixa utilizando panos e escova macia ou esponja (nunca use sabão, detergente ou outros produtos);
  • Retire a água suja que restou da limpeza, usando balde e panos, deixando a caixa totalmente limpa;

A limpeza do local deverá seguir os seguintes procedimentos:

  • Dilua 2 xícaras de chá (400ml) de água sanitária (2,0% ou 2,5%) em 20 litros de água;
  • Aguarde por duas horas para desinfecção do reservatório;
  • Esvazie o restante da caixa (esta água servirá para limpeza e desinfecção das tubulações);
  • Tampe a caixa d’água para que não entrem pequenos animais, ratos ou insetos;
  • Anote a data da limpeza do lado da caixa;
  • Finalmente abra a entrada de água.

ATENÇÃO

Se você ficar doente, procure uma unidade de saúde e lembre-se de contar para o médico o seu contato com a água de enchente.

NÃO SE AUTOMEDIQUE

Principais riscos à saúde causados pelas enchentes: leptospirose, hepatites A e E, diarréias, doenças respiratórias, dengue, tétano acidental, febre tifóide, cólera, acidentes e doenças mentais.

Departamento de Vigilância em Saúde – Vigilância Epidemiológica